Cigarro eletronico – Saiba tudo sobre!

Saúde

Vários estudos indicam a relação entre tabagismo e certos problemas psicológicos. Halal, Victora & Barros (1993) em um de seus estudos, realizado no período de março de 1989 a fevereiro de 1991, encontrou que idade inferior a 25 anos, baixo nível socioeconômico, ausência do companheiro e hábito de fumar dos pais da gestante e do companheiro (quando presente) seriam fatores de risco no início da gestação para hábito de fumar. Estes mesmos fatores de risco, juntamente com a longa duração, a maior intensidade e a idade precoce de início do hábito seriam possíveis fatores que dificultariam seu abandono durante a gestação.

Saiba mais sobre o Cigarro Eletronico!

método da transgenia, segundo Demonte, permite a criação de animais de grande porte com características comercialmente interessantes” 83 , evitando as outrora clássicas técnicas de cruzamento e seleção. Tornou ainda possível xenotransplante, que seria transplante de órgãos de animais para seres humanos, apontando seu uso para a criação de porcos imunocompatíveis com ser humano” 84 , embora ressalte os riscos que esta interação entre humanos e animais provoca no que tange à transmissão de agentes patógenos.

Diante da abrangência dos fatores de risco que envolvem os pacientes com infarto agudo do miocárdio, optou-se por utilizar referencial teórico de Campo de Saúde descrito por Lalonde() apud Oliveira(7). Este referencial engloba a biologia humana (sexo, idade, Índice de Massa Corporal (IMC), uso de hormônio feminino, história clínica e familiar); estilo de vida (causas atribuídas pelo paciente para ocorrência do infarto agudo do miocárdio, hábitos alimentares, bebidas alcoólicas, tabagismo, atividade física, estresse e padrão do sono); meio ambiente (nível de instrução, ocupação, turno de trabalho, número de empregos, renda familiar, estado civil, procedência e local de residência) e sistema de saúde (informações referentes à patologia atual, dúvidas quanto à doença, tratamentos médicos realizados e utilização dos sistemas de saúde).

Outro problema que vou citar aqui é a redução de sua produtividade, comprometendo toda a produtividade da fabrica ou qualquer que seja seu trabalho, este comprometimento pode ser na fabrica como citei, no escritório e no campo, em qualquer trabalho que depende do seu empenho.

Nesta perspectiva, direito à saúde é um dos direitos sociais que estão elencados no art. 6º da Constituição Federal, portanto sendo direito constitucional de todos os cidadãos e dever do Estado. Sua aplicação deverá ser imediata, de acordo com a necessidade, pois se está tratando do direito à vida, à sobrevivência do ser, e esse direito é superior a todos (CAPELLER, 2011).

As companhias que produzem CEs têm usado propagandas agressivas para estimular seu uso. Os principais argumentos usados pela indústria são os benefícios à saúde em comparação com cigarro tradicional, a redução do consumo de cigarros, a cessação do tabagismo, a minimização da exposição passiva e a possibilidade de uso dos CEs em locais onde fumo é proibido.(55) Em 2012, uma grande corporação de tabaco (Lorillard Tobacco Company) adquiriu uma marca de CE e passou a divulgar comerciais com celebridades na televisão e na Internet, sugerindo que CE é glamoroso e moderno.(56,57) Essas estratégias se mostraram supostamente úteis, uma vez que consumo do CE aumentou.

A falta de cigarro leva a abstinência. organismo do fumante esta acostumado com uma dose de nicotina diária. Isso é dependência! Sem a nicotina aparecem alguns sintomas físicos e psicológicos. Conhecer os sintomas é a melhor forma de se preparar e lidar com eles.

Ainda segundo Scivoletto (2001), a efetividade no tratamento dos adolescentes abrangem uma avaliação inicial que faz uma avaliação minuciosa Saiba Mais do consumo de drogas feitas pelo adolescente, informando grau de comprometimento com as drogas e a seriedade do quadro clínico.

Tabaco: Uma variedade de formulações de terapias de substituição da nicotina existe agora, incluindo adesivo, spray, gomas, pastilhas, e que estão disponíveis ao balcão. Além disso, existem dois medicamentos de prescrição para vício do tabaco: bupropiona e vareniclina. Eles têm diferentes mecanismos de ação no cérebro, mas os dois ajudam a prevenir recaída em pessoas que tentam parar de fumar. Cada uma das medicações acima é recomendada para uso em combinação com tratamentos comportamentais, incluindo terapias de grupo e individual.

Os serviços de saúde, mais do que nunca, devem estar atentos para abordar essas gestantes, visto que quando perguntadas, em sua grande maioria negam uso do tabaco. Para tanto, aquelas que informam ser tabagistas devem receber um acompanhamento especial e individualizado. E como enfermeiros devemos estar sempre estimulando e orientando essas mães, ao invés de recriminar e criticá-las por apresentarem este vício.

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS
Scroll To Top